2017
11.12

Reedição do primeiro disco de Sitiados.

 

No ano em que se comemoram 25 anos da edição do álbum de estreia dos SITIADOS, é reeditado essa obra seminal na história da música portuguesa.

O álbum “SITIADOS”, há muito indisponível, regressa assim às lojas numa edição especial comemorativa do 25.º aniversário, na qual se incluem 25 temas extra e um luxuoso livreto de 32 páginas recheado de imagens inéditas.

Este álbum duplo inclui os 16 temas originais remasterizados, diversas maquetes com temas inéditos e versões ainda embrionárias de temas que viriam a ser regravados para o disco de estreia, em gravações de 1987 a 1989.
No livreto podem ainda encontrar-se dois testemunhos de Pedro Gonçalves e Ricardo Alexandre, diversas fotos do arquivo privado dos artistas e disponibilizadas pela primeira vez ao público e ainda vários documentos históricos.

ALINHAMENTO “SITIADOS – 25 ANOS”:
CD1

  1. Vida De Marinheiro
  2. Naufrágio
  3. Fado Da Rusga
  4. Balada da Neve
  5. Amor É
  6. Pérola Negra
  7. E Ela Cega
  8. Soldado
  9. Cabana Do Pai Tomás
  10. Fado Da Traição
  11. António Santo
  12. Vida
  13. Última Valsa
  14. Amanhã
  15. Abril
  16. Junto Ao Rio

EXTRAS

  • A Noite (1989)
  • 18Vida de Marinheiro (1990)
  • 19Naufrágio (1990)
  • 20Euphoria (Ao Vivo – 1990)

CD2

  1. Libertação (1987)
  2. Revolta (1987)
  3. Submissão (1987)
  4. N’amurada (1987)
  5. Tanto Tempo (1987)
  6. Madrugada (1987)
  7. Pequeno Mar (1988)
  8. Só (1988)
  9. Companheiros (1988)
  10. O Beijo (1988)
  11. Macieira Montemuro (1988)
  12. Soldado (1988)
  13. Junto ao Rio (1988)
  14. Vida (1988)
  15. E Ela Cega (1989)
  16. Rebuçados (1989)
  17. Amanhã (1989)
  18. Balada da Neve (1989)
  19. Fado da Traição (1989)
  20. Última Valsa (1989)
  21. Abril (1989)
2017
02.20

É com orgulho que se partilha aqui o artigo da nossa Maria Miguel que retratou de forma ímpar os momentos de uma noite que ficará para sempre na nossa memória.

Este artigo foi publicado no blog a certeza da música
http://acertezadamusica.blogspot.pt/2017/02/tributo-joao-aguardela-report.html

Tributo a João Aguardela – 17 de Fevereiro

S. Domingos de Rana – ICMAV
Texto de Maria Miguel Marques
Fotos de Philipe Coutinho

Para quem passou na Estrada de Polima nesta sexta-feira à noite, certamente pensou que um bando de loucos barrava a entrada às pessoas no ICMAV, só porque sim. Na verdade, não era um bando de loucos mas sim de artistas. Nuno Paulino e a artelier? companhia de teatro de rua criaram a “Ó-brigada Sitiados” para receber a família e os amigos de João Aguardela, num tributo ao músico e a Sitiados. A entrada só era permitida se fizessem a saudação obrigatória, e de seguida era entregue um “poema”, enquanto as paredes dos edifícios se enchiam de vídeos com os diversos elementos a declamar letras de Sitiados. A noite era, obrigatoriamente, de festa.

A sala estava cheia e o ambiente era um misto de festa e emoção, ou não fosse a noite em que todos recordámos o amigo, o artista, e a mítica banda responsável pelo hino dos anos 90, “A Vida de Marinheiro.” Muitos reencontraram amigos de estrada, de longa data; amigos dos copos ou pessoas que conheciam de vista.  Outros aproveitaram para relembrar as caras que fizeram parte da sua vida. O tributo não começou, sem antes a representante da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana e José Manuel, pai de João Miguel Aguardela, dizerem algumas palavras de agradecimento a todos os que estavam presentes e aos que participaram na criação e divulgação deste evento.

Os primeiros a subir ao palco foram Francisco Resende e Mitó Mendes, guitarrista da formação inicial de Sitiados e a voz d’ “A Naifa”, respectivamente. De xaile nos ombros e num ambiente intimista, apresentaram a primeira música, “Fado da Traição”. Ao longo da música, Samuel Palitos, na bateria, Mário Miranda, no baixo e Rodrigo Dias na guitarra acústica foram subindo ao palco, para logo de seguida darem início ao segundo tema, “Amanhã”. Francisco Resende não deixou de dizer as suas palavras em nome de todos os participantes, destacando a coragem de Gabriela, José e Pedro, os pais e irmão de João Aguardela, e também a dos pais de Fernando Fonseca, o primeiro baterista de Sitiados, que nos deixou em 2015. Frisou ainda que era por João Aguardela e Fernando Fonseca que estavam ali, nesta sexta-feira de festa. O último tema interpretado por Mitó foi “Os Dias Sem Ti”, a música em que entra Sandra Baptista, a mulher de Sitiados e o “acordeão com pernas”, nome pelo qual era conhecida nos anos em que pisou os palcos com o seu acordeão.

O segundo artista a subir ao palco foi Paulo Costa, dos Ritual Tejo, que deu voz a “Junto Ao Rio”. Ao palco subiram também Jorge Buco, o homem do bandolim assombrado, e os metais compostos por João Marques, no trompete, Jorge Ribeiro, no trombone, e João Cabrita, no saxofone.

Paulo deu também voz a uma música de Sitiados nunca editado: Só. Mais tarde tirou o seu casaco e disse “acho que já sabem qual é a música que aí vem.” Na sua t-shirt lia-se “Puta de Vida”, tema que nos relembra que todos os nossos dias são a trabalhar, e que a vida não nos deixa bailar. O público acompanhou a letra e nunca deixou a festa parar. A última música que Paulo Costa interpretou foi “E Agora?”, e quando os acordes começaram a surgir os homens dos metais deram uns passinhos de dança, coisa habitual nos concertos de Sitiados.

Viviane, a voz dos Entreaspas, foi a terceira voz escolhida. Para começar, e bem, “Rebuçados” levou-nos atrás no tempo e até se ajoelhou para interpretar a célebre frase “E então somos pobres”, sempre acompanhada pela banda, e claro, pelo público que até então, não tinha deixado de cantar. Acompanhada por Francisco Resende, Mário Miranda e Samuel Palitos cantou “E Ela Cega”, cuja interpretação deu uma nova vida à música. “Soldado” foi a última música a que Viviane deu voz acompanhada por Francisco Resende e Sandra Baptista.

Ricardo Alexandre, jornalista e autor da biografia de João Aguardela, “João Aguardela – Esta Vida de Marinheiro”, marcou presença no palco ao ler um excerto do seu livro. Antes de apresentar o artista que se seguiu, frisou que sempre foi difícil fazer entrevistas a João “porque ele tinha sempre coisas mais interessantes para fazer.”

Rui Duarte, o metaleiro português dos RAMP, foi a voz que se seguiu. Ao entrar em palco disse “quero dedicar isto ao João e dizer-lhe que esta noite, tem outro parvo no lugar dele”, e estava apresentada a primeira música de Rui. Com Mitó Mendes e Mário Miranda nos coros, e sempre com o público a acompanhar, a noite de festa nunca perdia o ritmo. Além deste tema, Rui cantou ainda “Abril” e “Euphoria”, outra música nunca editada e dedicada a todos que iam conduzir para casa. Mas nem isso impediu o público de acompanhar a letra. Rui Duarte fez questão de puxar pelos amigos e curiosos que se juntaram para este tributo, para nunca perderem o ritmo. A sua última música foi “Pérola Negra” – uma das minhas músicas de eleição, diga-se de passagem – e o ambiente era, nitidamente, de alegria. Era impossível não ficar contagiado com a emoção e felicidade transmitida pela própria banda.

A última voz foi Paulo Riço, que começou com “Amor É”, seguindo-se “Será Que Ela Vem”, do último álbum de Sitiados. “O Circo” foi a música seguinte e era impossível parar. Nuno Paulino distribuiu narizes ao público, foram espalhados confetis, e a festa estava feita. Não havia como ficar indiferente a este espectáculo. O esquecimento da letra da parte de Paulo Riço passou despercebido ao público que estava incansável – a alegria, a dança e a emoção misturavam-se numa harmonia perfeita, e todos os que relembraram os grandes êxitos de Sitiados contagiaram os que pela primeira vez, assistiam a um espectáculo da banda que marcou os anos 90.

Samuel Palitos ajudou os mais esquecidos do público ao cantar connosco, e permitiu que a festa nunca parasse. “A Cabana do Pai Tomás” foi o último tema interpretado pelo vocalista dos Essa Entente.

Para surpresa do público, Tim, o vocalista de Xutos e Pontapés, subiu ao palco para interpretar “A Noite”, tema que celebrizou com os Resistência. O momento único permitiu ao público cantar com Tim, sem nunca dar descanso à voz.
Para fechar a noite, Sandra Baptista chamou ao palco João Marques, antigo baixista dos Sitiados, os pais e o irmão de João Aguardela, Ricardo Alexandre, os músicos, os roadies e os técnicos que ajudaram na realização do tributo, os representantes da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana, e Nuno Paulino para acompanharem Rui Duarte e a banda com o célebre tema “A Vida de Marinheiro.”

Enquanto a música acabava, e os presentes em cima do palco iam trocando impressões, os ecrãs que acompanharam o tributo do início ao fim com fotografias de João Aguardela e de Sitiados, passavam agora o vídeo d’“A Vida de Marinheiro” no Pavilhão Carlos Lopes em 1993.
A noite foi sem dúvida recheada de emoção, e serviu para voltar atrás no tempo e relembrar os temas que fizeram parte da vida de todos nós. A alegria constante marcou a noite de 17 de Fevereiro, e permitiu que todos fossem para casa de coração cheio.
Eu, trago para casa uma noite cheia de boas recordações, sendo esta a primeira vez (que me lembro) que vi Sitiados ao vivo. Não é, claramente, a mesma coisa, mas é sempre bom ver (e ouvir) as pessoas e as músicas que acompanharam a minha infância e o meu crescimento. Levo ainda uma herança única e da qual me orgulho muito, ou não fossem os Sitiados a família que o meu pai escolheu para me acompanharem para a vida.
Maria Miguel Marques

2017
02.20

Há dias assim, que não se esquecem, momentos únicos de emoção, celebração e amizade. Nesta puta de vida sempre se arranja tempo para bailar, festejar e até cantar. Numa festa tão bonita como sentida, o João juntou os amigos e fez-se homenagem aos Sitiados, homenagem à vida. Mas melhor que palavras são as imagens que aqui ficam deste dia especial.

E como o próprio diria “Tenham uma boa vida”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2017
01.28

Amigos, companheiros, camaradas, dia 17 Fevereiro 2017, vamos reunir os antigos músicos de Sitiados convidar algumas vozes e aceitar o convite da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana onde o João nasceu e, celebrar o João Aguardela, os Sitiados, uma noite única, sejam muito bem vindos!

Sitiados em concerto de tributo a João Aguardela

Sitiados em concerto de tributo a João Aguardela

A Junta de S. Domingos de Rana presta homenagem a João Aguardela, organizando um concerto de tributo, no dia 17 de fevereiro (sexta-feira), nas instalações da ICMAV, em Polima.

O músico morou desde criança até à data da sua morte, a 18 de janeiro de 2009, na freguesia, primeiro no Bairro do Conde Monte Real e depois no Penedo.

O seu nome ficará para sempre associado ao hino “Vida de Marinheiro”, de Sitiados, banda que fundou em 1987 e que o catapultou para o sucesso nos anos noventa, tendo posteriormente abraçado outros projetos, como Megafone, Linha da Frente e A Naifa.

Ao longo da noite, Francisco Resende (guitarra), Mário Miranda (baixo), Rodrigo Dias (baixo), Samuel Palitos (bateria), Jorge Buco (bandolim) e Sandra Baptista (acordeão) interpretarão diferentes temas de Sitiados, acompanhados de João Cabrita (saxofone), João Marques (trompete) e Jorge Ribeiro (trombone).

Para além de reunir os músicos que fizeram parte da banda, que será pela primeira vez homenageada, o concerto contará com a participação de vocalistas convidados que, de uma forma ou outra, estiveram ligados a João Aguardela, como Mitó Mendes (A Naifa e Señoritas), Viviane (Entre Aspas), Rui Duarte (RAMP e Linha da Frente), Paulo Riço (Essa Entente) e Paulo Costa (Ritual Tejo), bem como de Ricardo Alexandre, jornalista e amigo que escreveu a sua biografia.

A entrada é gratuita.

2014
08.15
Aqui estão os vencedores da 2ª edição dos Prémios Megafone.


Vencedor Prémio Megafone/SPA 2014


Música
Charanga –  http://charangacharanga.net/

Missão: Mural Sonoro –  www.muralsonoro.com

Vecedores Megafone 20014 Charanga _ foto de Carlos Martins

Prémio Missao - Mural Sonoro   Créditos imagem: Carlos Martins

BONS SONS ACOLHEU PRÉMIOS MEGAFONE / SPA

Apadrinhada por Galandum Galundaina, vencedores da edição de 2010, a noite dos Prémios Megafone contou com as actuações dos padrinhos e dos nomeados deste ano: Nó d’Alma, Omiri e Charanga. 

A abertura da Noite dos Prémios ficou a cargo do espetáculo de “Artelier? – Teatro de Rua“.

A viver os Prémios da Música Portuguesa na Aldeia!

Nó D'Alma

Nó D’Alma



Omiri

Omiri



Charanga

Charanga

 

DJs Megafone

DJs Megafone

2014
08.12

 

Noite Prémios Megafone 2014

 

PROGRAMA :

Performance “Com Mil milhões de Megafones”

da Artelier? teatro de Rua

Charanga + Omiri + Nó D’Alma

Palco Lopes Graça
22:15

Galandum Galundaina

Palco Lopes Graça
00:45

Dj Megafone:
Ricardo Alexandre + Luís Varatojo

Palco Aguardela
02:45

http://www.bonssons.com/premios-megafone/

2014
08.12

2014
08.10

O BONS SONS’14 lança uma aplicação com toda a informação necessária a quem quer Viver a Aldeia. 
Poderás consultar o programa, informações sobre os artistas, marcar os concertos que não queres perder, partilhar com os amigos. Encontrarás também todas as actividades paralelas e locais de restauração, as melhores formas de chegar a Cem Soldos, os locais onde podes ficar e muito mais! 

Esta aplicação foi desenvolvida pelo Bem Bom ~ studio

Aqui fica o link

App Bons Sons 2014

 

2014
07.11

A Performance “Com Mil milhões de Megafones” da Artelier? teatro de Rua irá ser feita com a participação dos amigos da associação Megafone, da Artelier? e do festival Bons Sons, a todos desafiamos a juntarem-se à “ Brigada Megafónica” que dia 14 vai abrir o Palco da noite MEGAFONE-AGUARDELA do festival…Os voluntários que acreditem poder ser úteis e reunam condições e disponibilidade pessoais para esta missão serão certamente muito bem vindos.
“com Mil Milhões de Megafones” – procuramos pessoas interessadas e que estejam no festival no dia do evento e que ás 2o horas queiram participar num dos quadros da animação de rua , ao estilo de mobilização ( flash-mob). este não terá ensaio, mas , teremos um encontro meia hora antes para receber as instruções.Para os participantes do flash mob ( 15 no máximo ) , oferecemos esta vontade de celebrar em conjunto a obra Megafónica, e também uma surpresa em forma de PIN e T SHIRT da sua participação nesta aventura em busca de Bons Sons para a Musica e novas tradições.

os MEGAfÓNICOS devem enviar a inscrição para : geral.par.pt@gmail.com , att: do Nuno Paulino ou telefonar 965697778

“Com mil milhões de Megafones e até bons Sons”

Photo: CONVITE Á PARTICIPAÇÃO NO PROJECTO " COM MIL MILHÕES DE MEGAFONES" -  ANIMAÇÃO DE ABERTURA DO PALCO NA NOITE MEGAFONE -AGUARDELA DO FESTIVAL BONS SONS</p><br /><p>A Performance “Com Mil milhões de Megafones” da Artelier? teatro de Rua irá ser feita com a participação dos amigos da associação Megafone, da Artelier? e do festival Bons Sons, a todos desafiamos a juntarem-se á “ Brigada Megafónica” que dia 14 vai abrir o Palco da noite MEGAFONE-AGUARDELA do festival...Os voluntários que acreditem poder ser úteis e reunam condições e disponibilidade pessoais para esta missão serão certamente muito bem vindos.</p><br /><p>“com Mil Milhões de Megafones” - procuramos pessoas interessadas e que estejam no festival no dia do evento e que ás 2o horas queiram participar num dos quadros da animação de rua , ao estilo de mobilização ( flash-mob). este não terá ensaio, mas , teremos um encontro meia hora antes para receber as instruções.</p><br /><p>Para os participantes do flash mob ( 15 no máximo ) , oferecemos esta vontade de celebrar em conjunto a obra Megafónica, e também uma surpresa em forma de PIN e T SHIRT da sua participação nesta aventura em busca de Bons Sons para a Musica e novas tradições.</p><br /><p>os MEGAfÒNICOS devem enviar a inscrição para : geral.par.pt@gmail.com , att: do Nuno Paulino ou telefonar 965697778</p><br /><p>"Com mil milhões de Megafones e até bons Sons"

 

2014
07.11

Spot BONS SONS’14
BONS SONS’14 14 a 17 Agosto Cem Soldos – Tomar O BONS SONS é o maior festival de música portuguesa e decorre, a cada dois anos, no terceiro fim-de-semana de …